Pesquisar este blog

quinta-feira, 23 de junho de 2016

O QUE É DIABETES E SUA RELAÇÃO COM A INSULINA


Você sabe realmente o que é a Diabetes?
A Diabetes é uma doença que se manifesta em crianças, adultos ou idosos, com maior frequência em pessoas acima dos 40 anos de idade e que tem como principal característica a alteração nos níveis de insulina no organismo. A Insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas, responsável pela entrada e saída de glicose de dentro da célula, ou seja, a glicose é a energia que o corpo utiliza para realização das atividades diárias, sem essa energia disponível para as células, o organismo acaba entrando em um estado de disfunção e desencadeia a doença.


A insulina é o ponto chave, grandes alterações de insulina levam à diabetes. Mas como saber? 

 Com ausência de insulina suficiente para controlar os níveis de glicose, ela acaba por se dissipar ou acumular na corrente sanguínea. Tudo o que comemos como pães, massas, farinhas, cereais, os chamados carboidratos, são fonte de glicose no organismo e com a presença de insulina são controlados para desempenhar seu papel energético no organismo, porém quando essa insulina suficiente não esta presente aumenta os níveis de glicose, deixando açúcar circulante na corrente sanguínea. 


É recomendado pela Organização Mundial da Saúde que se procure um médico o mais rápido possível quando você se apresentar com grande parte dos sintomas principais, que são: dificuldade de cicatrização de feridas, cansaço, vômitos, fadiga muscular, falta de energia para realização de atividades diárias, dores abdominais, emagrecimento e muita sede, pela frequência em urinar, formigamento principalmente de mãos e pés, visão embaçada e diversos outros sintomas. Somente o médico pode solicitar os exames necessários e realizar o devido diagnóstico e tratamento.


Como é realizado o diagnóstico? O médico solicita uma serie de exames sanguíneos para saber os níveis de insulina e glicose no sangue, além das observações clínicas e dos sintomas apresentados pelo paciente. Avalia-se a concentração de insulina e glicose antes (em jejum) e após a ingestão de alimentos (pós). Muitos já fazem a utilização de um exame chamado de hemoglobina aplicada.

Existem 2 tipos de diabetes principais. Quais são?
Diabetes tipo I – Na diabetes tipo I é necessário o uso de insulina de forma total, é mais comum em crianças e adolescentes e se caracteriza pela destruição das células produtoras de insulina, o que acarreta na ausência de insulina e aumento de glicose circulante. 


Diabetes tipo II – A diabetes tipo II a perda de insulina é parcial, é o que ocorre na maioria dos pacientes que apresentam diabetes. É caracterizada pela incapacidade dos tecidos musculares e adiposos em absorver a insulina que é produzida pelo pâncreas, podendo estar associada à má alimentação, sedentarismo e aumento de peso.

Como é realizado o tratamento para a Diabetes? Segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia no tratamento do diabetes, o ideal é que a glicose fique entre 70 e 100mg/dL.  A partir de 100mg/dL  em jejum ou 140mg/dL duas horas após as refeições, considera-se hiperglicemia (glicose alta) e abaixo de 70mg/dL, hipoglicemia (baixa de glicose). “Tanto insulina, quanto medicação oral podem ser usadas para o tratamento do diabetes. A insulina é sempre usada no tratamento de pacientes com diabetes tipo 1, mas também pode ser usada em diabetes gestacional e diabetes tipo 2 (quando o pâncreas começa a não produzir mais insulina em quantidade suficiente).  A medicação oral é usada no tratamento de diabetes tipo 2 e dependendo do princípio ativo, tem o papel de diminuir a resistência à insulina ou de estimular o pâncreas a produzir mais desse hormônio”.

Como você pode fazer sua parte? Pratique exercícios físicos regularmente, tenha uma alimentação equilibrada, exclua de seu consumo diário refrigerantes, alimentos industrializados que contem corantes, opte por alimentos ricos em nutrientes como frutas e legumes, ingestão de bastante água, ou procure uma nutricionista. Evite ao máximo ficar acima do peso, o sobre peso e a obesidade são fatores cruciais para desencadear diabetes.